quinta-feira, 31 de maio de 2007

Cara, cadê nossa cultura?

Há um tempo venho observando o comportamento cultural dos brasileiros, mais precisamente dos paulistas. Apesar de termos no nosso território diversas etnias e costumes, não consigo achar uma característica cultural consistente. Ao contrário de povos de outras nações, não zelamos pelos patrimônios herdados do passado, e muito menos, damos valor à eles. Estes estão caindo aos pedaços, abandonados, sem a mínima manutenção para mantê-los em pé. Alem disso, basta ligar o rádio, a televisão ou sair nas ruas para notar como o estrangeirismo toma conta de boa parte do nosso vocabulário, dos anúncios publicitários, enfim, do nosso dia-a-dia.

Perto da minha casa tem uma grande empresa e na sua fachada tem um painel escrito: “Power and Productivity for beter world”. Para um indivíduo que domina pelo menos o inglês básico, este saberia que no anuncio está escrito: “Energia e Produtividade por um mundo melhor”. Mas como a grande maioria é leiga no assunto, não consigo entender o motivo da frase estar escrita em outra língua. Talvez seja pra ficar mais chique, porque afinal, tudo o que é de fora é melhor, mais bonito.

A partir desse pensamento, dou como exemplo o “nosso” gosto musical. Conta-se nos dedos as rádios que tem em sua programação a Musica Popular Brasileira (MPB). A grande maioria dos jovens não conhece os grandes poetas brasileiros como: Tom Jobim, Vinicius de Morais, Caetano Veloso, Chico Buarque e tantos outros trovadores, românticos, que cantaram e ainda cantam o nosso povo, pro nosso povo e pro mundo inteiro. Os verdadeiros ídolos da juventude são os cantores internacionais. Eminem, 50 Cent, entre outros, que falam sobre a sua cultura inútil e consumista como se fosse o exemplo de vida a ser seguido e mulheres semi-nuas rebolando em seus vídeo-clipes. Pra isso não faltam rádios e canais pra dissipar essa poluição sonora e visual. Não que eu seja contra todo tipo de musica internacional, pelo contrario, ouço algumas coisas frequentemente.



Concluindo meu comentário, quero deixar bem claro que conhecer culturas diferentes, línguas, músicas, enfim, é fundamental para um conhecimento geral. A bandeira que eu quero levantar é a seguinte: aqui no Brasil há muita coisa boa, muita gente inteligente que deve ser reconhecida, o que não esta acontecendo. É uma vergonha deixar de lado o que temos de bom e fazer com que o de fora sobre saia perante o que devemos valorizar e cuidar com orgulho.

Pense nisso!

6 comentários:

Igor Mantoan disse...

Muito boa manteiga!!! Belo texto! Gostaria de publicar seu texto no liberdade moderna, ok? Me deixa um recado no orkut pra confirmar..

gde abraço

Vandré disse...

E ae Fabricio... Legal o texto mano, pois é, no nosso país é assim, ímportam coisas que não precisamos pro nosso dia-a-dia, temos que suportar isso, porque como você bem colocou não temos muitas opções, ou você se integra ao que os meios te "impõe", ou fica isolado do mundo "normal". Isso serve tanto pra música, filmes e tudo relacionado a cultura.

Falow cara, abraço, até o proximo post aqui no blog!

Stefanie disse...

Fahhh...

Como assimm??
c tah screvendo mtooo bemmm..
nem parece aqele menino q nu 3º col. num gostava d mostrar suas redações!!
hahaha..
mtooo bom msm!!!...
sucesso ai nu vestibular!!.=]


adoro-t
bjooo
=*

Marysol disse...

Fala Fabrício!!
Tu escreve bem em mlk.. texto muito manero!!
o problema maior disso tudo.. é que já ta tudo contaminado pela cultura externa..das coisas mais aparentes às mais simples... não adianta muito mais fugir disso..
O que que podemos fazer, é sermos patriotas! isso eu concordo plenamente
Beijoss menino!

Vinícius Alves Marques disse...

Mantega cara...parabens vc escreve muito bem!!!E da pra percebe que vc tem a cabeça muito boa cara!!!Não é conformista como a maioria da nossa população...isso é otro motivo de tudo isso que está acontecendo!!!
Dificil encontra alguem que pense e saiba espor as idéias que nem vc Mantega, parabens de novo!!!

Abraços!!!

Cacilda disse...

Legal Fabrício, vamos então valorizar nossa Língua Portuguesa.
E não só a Língua, mas também a nossa Pátria.

Beijos
Cacilda